Look de carnaval empoderado e consciente! Segura as minas!

February 16, 2019

 

Unicórnio nenhum me convence, meu look de carnaval vai ser sem plástico e puxado na ancestralidade feminina. Vem comigo?

Tá chegando a época mais livre do nosso calendário! Vale brincar, vale sorrir e vale brilhar muito. É um momento em que a empatia faz hora-extra. Sabe quando você encontra alguém com a mesma roupa no elevador do trabalho e cada uma olha pra um lado, fingindo que não reparou? No carnaval, um encontro assim é pura alegria, motivo pra pular o dia inteiro e fazer uma nova melhor amiga.

 

Ousadia, vem ni mim!

 

O carnaval também é a oportunidade perfeita para sair de casa com uma produção mais ousada. Às vezes muuuuito mais! Aquela persona que mora aí dentro e que você ensaia extravasar, sai facinho nessa época. É hora de tirar do armário todo o brilho, toda transparência, toda excentricidade que conseguirmos e tocar a banda no volume máximo! Vale fantasiar forte, só fazer um make mais elaborado, ou optar por conforto e frescor pra pular até de manhã. O carnaval acolhe a todas!

 

Looks e tipo físico

 

Tá calor e pra pular a gente acaba usando pouca roupa. Neste momento não importa se fez projeto verão ou não, se é vegana, se come carboidrato, ou se se joga no funcional! Só importa o sorriso e a farra. Caso a deusa aí queira dar destaque para aqui ou disfarçar acolá, é fácil. Dá uma olhada nessas dicas:

 

  1. Pra começar dividi o corpo em 3 áreas principais, que funcionam como condutoras do olhar e são interessantes para complementar a fantasia. Assim, você consegue criar a ilusão de curvas e equilíbrio, destacando e disfarçando o que achar melhor. São elas:

    • cabeça

    • ombros

    • cintura
     

  2. Depois, vale atentar para o seu tipo de corpo e associar essa informação às sugestões de destaque acima.

  • Quem tem corpo oval - ou quer disfarçar a área da cintura - pode apostar em chamar atenção para o rosto. Nesse caso, pode apostar em um acessório de cabeça super bacana.
     

  • Para as moçoilas de corpão violão, ou para quem quer disfarçar o quadril, pode apostar no destaque para os ombros. Esse truque “puxa” o olhar para cima e equilibra imediatamente ombros e quadril. Por isso pensei em ombreiras. Fora que é a parte que mais dá pra ver na multidão, depois da cabeça!
     

  • E, por último, as cintura-fina! Destacar o meio do corpo é maravilhoso para ressaltar as curvas. Então, se você tem o corpo de pin up ou mais retinho, pode apostar! Para isso pensei em um cinturão que também faz às vezes de cinto de utilidades e pode até ser uma pochete super utilitária…


Já resolveu como destacar o corpinho? Bora desfilar um look empoderado!

 

É super comum relacionar o ato de se fantasiar à compra de chifrinhos, tiaras piscantes e outros apetrechos produzidos na China. Por aqui, decidi que este ano o carnaval vai ser sem plástico. Tirando que chifrinho de diabinha e de unicórnio pra mim não rola! Claro que eu quero me sentir linda e sensual, mas a minha ideia de sensualidade é me relacionar com o feminino empoderador. Não me identifico com um bicho raro e inatingível como o unicórnio, nem com diabinha sensuelen que vai realizar as fantasias dos outros…

 

Não me entenda mal. Eu super quero uma fantasia para ME realizar!

Por isso, depois de pensar um tanto, resolvi me inspirar nos arquétipos femininos para os meus looks de carnaval! Pra entender mais sobre os arquétipos, o que são, como atuam sobre nós e tals, recomendo ler mais sobre o tema aqui! Mas muito rapidinho, o conceito de arquétipos foi elaborado por Carl Gustav Jung e tem a ver com às imagens presentes no inconsciente coletivo. São conjuntos de informações que influenciam ativamente em nosso comportamento, percepções e ações.

 

É claro que ninguém se comporta como, ou se identifica apenas com um arquétipo, somos a mistura de alguns deles. E quanto mais empoderada a mulher, mais ela tem liberdade e traquejo para “dançar” com os diversos arquétipos, sentindo-se plena. Foi aí que eu percebi a sinergia: os arquétipos têm tudo a ver com o estudo sobre estilo pessoal! Depois, encontrei o livro As Deusas e a Mulher, da autora Jean Shinoda Bolen, que sugeriu um agrupar as deusas em 3 times: o das deusas virgens, as vulneráveis e, por último, alquímicas. Praticamente fantasias prontas!

 

As Deusas virgens são as autônomas, independentes e não sofreram por homem nenhum. Maravilhoso, não? Pra essa fantasia vale carregar uma plaquinha ou até investir em brincos #saimachista ! Minha inspiração veio em parte da deusa Artêmis, que ama a natureza, é exímia caçadora e sabe tudo sobre a sobrevivência na selva, com uma pitada da Deusa Atenas, guerreira, estrategista e com uma pegada totalmente igualitária. Mas você já entendeu a pegada dessa mulher forte, deusa e que se não for pra causar, nem vai…

Pra minha fantasia eu preferi usar folhas de verdade e investi em ombreiras e um detalhe na cabeça. Gostaria de acrescentar uma lança, mas não sei se vou dar conta de carregar no rolê!

 

Já a ideia de vulnerabilidade vem de uma profunda nutrição ao outro e de levar a vida considerando sempre alguém a sua frente. Esse é o time das mães, das filhas e das esposas. E vale experimentar uma das outras fantasias caso seu papel na vida real seja intensamente um desses! E dando uma olhada nos boards da vida, encontrei muita fantasia que pode ser encaixada nessa categoria, já que parecem terem sido escolhidas para o outro e tal.

 

Fugindo do tema “estou aqui pra você”, me inspirei principalmente na grande mãe e imaginei uma Demeter Tropical. Quase uma Carmem Miranda da fertilidade, que tudo o que toca vira alimento – orgânico, claro! A princípio adoraria uma cabeça feita de frutas e flores de verdade, mas percebi que ficaria pesado e desconfortável. Então brilhei nas frutas de feltro dos filhotes! Acho que um pote de cereal à tira-colo seria demais e ainda pode funcionar como um porta-confete! Confete natureba, claro!

 

 

E a minha versão de Afrodite, a deusa alquímica, vai se abrasileirar de Yemanjá. Ela é o magnetismo puro que pode fazer e ter o que ou quem quiser. Tem energias masculinas e femininas equilibradas e, por isso, pensa no outro sem se esquecer de si mesma. Vai vestir branco e ter um cinto poderoso com conchas e rosas. Se eu conseguir vou fazer um cabelo de feltro esvoaçante e laranja, assim como a vênus de xxxx. Essa última fantasia é na que eu mais aposto. Espero encontrar muitas afrodites pelas ruas - homem e mulheres - para juntos espalharmos amor, a beleza e empatia para o nosso ano e para todos os processos e ciclos que vêm por aí!

 

Em tempo: Carnaval Consciente

 

Pra quem não curte tanto fantasia, brilhar é das primeiras coisas que vêm à mente quando o assunto é carnaval. E haja glitter! Uma moça brilhar não deveria impactar o meio ambiente mas impacta, gata, e muito. Dá uma olhada nesse vídeo sobre as consequências do descarte de plásticos e microplásticos pra vida marinha.

 

 

Mas ainda bem que hoje em dia tem muuuuita opção sustentável. De cremes brilhantes orgânicos até glitters biodegradáveis.

 

Dá até pra fazer o próprio glitter comestível! No ano passado eu fiz com gelatina e nesse também vai rolar, porque lá em casa seremos 4 brilhando muito! Vou seguir a receita desse vídeo aí embaixo. Tá vendo que não precisa ficar culpada de se jogar no brilho? E ó: se não tá fácil a vida, se ficou em cima da hora, ou se você já tem o glitter tradicional em casa, é só se comprometer a tirar tudinho com creme ou óleo e um pedaço de tecido. Assim a gente não deixar ir nada pelo ralo! ;o)

 

 

Please reload

 em breve 

Últimos Posts

March 12, 2019

Please reload

Seja a primeira a receber dicas sobre estilo e consumo consciente
@historiasdejade

Quer saber um pouco mais sobre os nossos processos e se inspirar dando uma espiadela em quem passa por aqui?

  • Instagram - Grey Circle
Contato

Av. Dr. Arnaldo 1566

São Paulo, SP 01255-010

​​

Tel: 11 999091731

valentina@historiasdejade.com.br

© 2017 todos os direitos protegidos - Histórias de Jade